Ataque informático ao Facebook expôs 50 milhões de contas

Um ataque informático na rede social Facebook, detetado na terça-feira à tarde, expôs informação de perto de 50 milhões de contas de utilizadores daquela que é a maior rede social do mundo.

«A falha de segurança permite a exploração de uma vulnerabilidade no código da programação do próprio Facebook», explicou a empresa, num comunicado disponibilizado esta sexta-feira, mas garante aos utilizadores que «não é necessário alterarem as suas palavra-passe».

«A privacidade e segurança das pessoas é incrivelmente importante e lamentamos que isto tenha acontecido. É por isso que tomámos medidas imediatas para proteger estas contas e informámos as pessoas que isto tinha acontecido. Não é preciso ninguém mudar a sua password», lê-se no comunicado.

A investigação ao que se passou ainda está a decorrer, mas a equipa de engenharia da rede social informa que já ativou uma série de medidas para proteger a segurança das informações que os utilizadores disponibilizam na rede.

A vulnerabilidade do sistema terá sido utilizada pelos atacantes através da funcionalidade ‘View as’, que permite aos utilizadores vejam o seu perfil como aparece para as outras pessoas.

Esta falha na segurança terá permitido aos atacantes aceder aos acessos token (chaves digitais que permite que os utilizadores se mantenham ligados à rede sem terem de introduzir sempre as palavras-chave) dos utilizadores, chegando, por esta via, às suas contas.

O Facebook diz que resolveu logo a vulnerabilidade que existia no sistema, que desligou a opção ‘View as’ de forma temporária e que informou as autoridades.

A seguir, a rede social reiniciou as contas das 50 milhões de pessoas que foram afetadas por esta vulnerabilidade e que tomou medidas adicionais para outras 40 milhões de contas.

No total, há cerca de 90 milhões de pessoas que terão de se desligar e voltar a ligar-se à rede social, introduzindo novamente a password. Isto acontecerá em todas as apps cujo login seja feito através da conta do Facebook – quando estas pessoas voltarem à rede social, receberão uma notificação que lhes explica o que aconteceu.

No comunicado divulgado esta sexta-feira, a empresa diz que o ataque informático explorou vários detalhes do código que suporta o Facebook e que terá surgido de uma alteração que a empresa fez à forma como se descarregam vídeos para a plataforma, em julho de 2017.

Por esta altura, o Facebook ainda não consegue determinar se a informação das contas foi comprometida, sabe apenas que esteve exposta. Também ainda não tem dados sobre quem serão os atacantes ou onde se encontram.

A rede social conta com cerca de 2,5 mil milhões de utilizadores

<

p class=”wpematico_credit”>Powered by WPeMatico

Related posts